Angela Gomes
 
 
 

terça-feira, maio 29, 2007

Irremediável descotrole... Remoto controle...



Sustentabilidade?
Se o tranporte público não fosse a porcaria que é eu poderia sair em bandeira contra essa cena cotidiana.


Uma vez em uma palestra, não me lembro quem contou.... Os Et´s vieram estudar a terra. Explicaram para os outros que a Terra era um planeta estranho, onde criaturas estranhas andavam pelas ruas e se alimentavam de outras criaturas menores. Para os Et´s os automóveis eram os terráqueos.
De uma janela...

"Utilizamos ainda sistemas arcaicos como o carro - uma grande caixa com uma pessoa só e um enorme motor. Por outro lado, temos a nanotecnologia, o iPod..."
Masimiliano Fuksas


leia mais...

Da Janelinha...


Quase daria pra ir trabalhar na Hiparc se não fosse a foto um pouco torta...rs

Uma foto tirada da janelinha do avião, que voava baixo sobre os Alpes Suíços, nessa época com pouca neve ainda, e sobre as pequeninas vilas ou cidades suiças que se formaram nos vales. Um encanto!

Outubro 2006

leia mais...

por Margarida Cuzzuoll

leia mais...

domingo, maio 27, 2007

Ilustração...



leia mais...

janela


por Flávio Martins
Obra: Finlândia e Brasil.

leia mais...

sábado, maio 26, 2007

Anúncio de emprego

Outro dia recebí um email de uma empresa da qual sou cadastrado que divulga vagas de empregos e currículos pela internet que dizia assim:

Olá, André Luiz de Alcântara Lima.Detectamos que existem vagas que se encaixam com seu perfil profissional:
1 Vaga - Arquiteto(a) Arquiteto de Integração SOA / BPEL *Experiência prática em projetos que utilizam a linguagem BPEL e soluções de EAI (Enterprise Application Integration): IBM MQSeries, WebSphere MQ Integrator, Tibco, Oracle BPEL, Biz Talk.

Pode ser ignorância minha mas na hora fiquei passado achando que precisaria me atualizar urgentemente.
Até que um dia descobri por acaso em um anuncio de emprego de jornal que estão chamando por aí afora de "arquiteto" os profissionais de programação computacional.
Pelo o que ouvi o salário desse pessoal é normalmente maior do que os dos "arquitetos".
Talvez seja a hora de aproveitar a brecha para me atualizar...

leia mais...

sexta-feira, maio 25, 2007

“Esse é o drama da arquitetura contemporânea. Você aplica uma fortuna no edifício como fato isolado, ele brilha mais do que seria conveniente, chega a incomodar o vizinho e não significa nada. Ao contrário: é uma espécie de pedra no caminho da cidade”.
Paulo Mendes da Rocha

Revista Projeto 316.

leia mais...

quinta-feira, maio 24, 2007

UFBA

http://www.cronologiadourbanismo.ufba.br/



leia mais...

quarta-feira, maio 23, 2007

A Gota

Feche aí !
Fechar o que?
Feche a porta!
Fechar porque?
Feche a boca!
Já está tudo escancarado mesmo!

Cale a boca!
Já não tenho porque!
Eu te mato!
Eu corro!
Eu te caço!
Eu subo o morro!

Eu vou atrás!
Pois pode vir!
Olha que eu vou!
Você não vem!
Não tenho medo!
Claro que tem!

Silêncio...

Eu....
Eu tenho pena de tudo o que você é
Já eu...
Eu desejo tudo o que você tem
Você para mim...
È a praga da sociedade
Você não...
Você é a razão da minha existência
Nem deus irá te salvar
Ai de você se não

leia mais...

O Comum continua ...

http://www.ocomum.com.br/



leia mais...

terça-feira, maio 22, 2007

Índia


Ontem recebi uma mensagem escrita por Grazziella Debbané para um grupo de pessoas. Um relato impressionante de sua viagem à India! Não resisti ... e gostaria de destacar somente dois parágrafos em que ela se posiciona de forma sensível sobre a realidade que viu e que provavelmente será apresentada e divulgada por ela mesma (por meio de fotos, objetos, livros e artigos) quando retornar ao Brasil.
O que me chamou a atenção é que busquei na internet outros relatos sobre os mesmos locais e os olhares são totalmente diferentes, mas essa diferença de conteúdo, de vivência, ela mesma explica super bem:

"Rajastao, Deli e Himalaias...."
Grazziella Debbané
“... nao tenho duvidas de que este pais vive na Idade Media, mas nao uma Idade media compreensivel, palpavel, e sim uma do futuro, com globalizacao e sistema de castas convivendo de maos dadas, com um nivel de exploração humana que simplesmente nao se concebe mais, soh vivenciando para entender... “
(...)
“Eh claro que muitos amigos estiveram ou ainda vao passar por aqui, que dependendo do enfoque, principalmente duracao da viagem e locais visitados, estes relatos sao meio duros, mas se alguem fizer a mesma varredura, porque eu nao visito um lugar, eu mergulho, faco incisoes, quando estou em viagem, sou profissional mesmo neste quesito, duvido que alguem que tenha andado por onde andei, visto e vivido o que vivi, no intimo, nao me de razao...”

leia mais...

domingo, maio 20, 2007



VV e Vix ES - Flavio Martins

leia mais...

sábado, maio 19, 2007

Marte Ataca 1!

"Estamos sendo invadidos!!! Corram todos para suas casas!!! Aliás corram todos de suas casas!...Eles estão lá."
Talvez não seja exatamente esta frase que Orson Welles disse em 1938 no progaram de rádio Guerra dos Mundos da CBS.
Mas com certeza o que disse e a forma como disse causou um dos maiores, senão o maior transtorno por meio de uma trasmissão midiática em toda a história.
Orson Welles era um gênio. Ele percebeu que as pessoas preferem acreditar em ilusões e histórias fantásticas do que nos problemas reais.

Segundo o site http://www.radioagencia.com.br, a história foi a seguinte:

Em 30 de outubro de 1938, véspera de Hallowen.Como milhões de outras pessoas em todo o planeta, os americanos encerravam seu dia ouvindo rádio. Naquela noite foi apresentado na rádio CBS uma adaptação da peça Guerra dos Mundos dirigida por Orson Welles.
Para envolver ainda mais os ouvintes, o roteirista Howard Koch transportou a história utilizando a região em torno de Nova York como cenário.
O problema é que ... nem todos estavam ouvindo e muitos quando sintonizaram a CBS encontraram "Guerra dos Mundos" a pleno vapor, com a música sendo interrompida abruptamente pela notícia da queda de um meteoro e a entrevista com um astrônomo da Universidade de Princeton sobre estranhas explosões em Marte.
Poucos notaram que o famoso professor Richard Pierson, que ninguém nunca ouvira falar pois não existia, tinha a voz de Orson Welles.
A tensão foi construída cuidadosamente, utilizando entrevistas com autoridades e uma nervosa descrição do monstro saindo do cilindro. O primeiro confronto terminou com 40 mortos. No segundo ataque, sete mil homens do exército, armados com rifles e metralhadoras, foram aniquilados com raios de calor.
Novos cilindros foram localizados. Os marcianos prosseguiram para Manhattan, destruindo e matando com gás venenoso.
Acostumados a se informar por aquela que era a principal mídia da época, cerca de um milhão de nova-iorquinos acreditaram que a história era real e entraram em pânico, alguns saindo em correria pelas ruas, outros se protegendo de gases venenosos com toalhas enroladas na cabeça e cobrindo as janelas com panos úmidos
Davidson Taylor, supervisor da CBS, queria que Welles interrompesse a transmissão e tranqüilizasse os ouvintes que bloquearam as linhas da rádio. Welles teria recusado, dizendo que o público tinha que ficar apavorado.
A polícia da região de Grover's Mill teve uma noite ocupada, com as três linhas telefônicas tocando ao mesmo tempo com perguntas sobre o meteorito, número de mortos, ataques com gás e convocação de militares.
Após o ocorrido, Welles e a CBS foram alvos de centenas de ações judiciais, nenhuma delas bem sucedida. A transmissão de "Guerra dos Mundos" gerou o programa de Defesa Civil dos EUA, foi usada por Hitler em um discurso como exemplo da fraqueza dos EUA, foi a percussora dos estudos sobre o poder da imprensa e objeto do primeiro estudo acadêmico sobre histeria em massa. O sucesso assegurou a Welles o contrato que o levou a dirigir "Cidadão Kane", considerado o melhor filme de todos os tempos, e a Koch o roteirista do programa, um lugar na Warner, onde ele ganhou o Oscar com o roteiro de "Casablanca".

leia mais...

quinta-feira, maio 17, 2007

pescadores


...mas quando bati os olhos nesta foto, fiquei imaginando os pescadores jogando a rede ali...na Baía!
Margarida Cuzzuoll

leia mais...

Búzios-RJ

leia mais...

São Luís- MA

leia mais...

quarta-feira, maio 16, 2007


Já está no ar uma rádio on-line inteiramente dedicada à arquitetura, projetos, construção, cultura e música. É a rádio oficial da UIA que transmitirá o XXIII Congresso Mundial de Arquitetura Torino 2008 (29 de junho a 3 de julho de 2007).
Acesse o site http://www.gma-radio.com/index.shtml e "Click to listen Good Morning Architecture".
por Margarida Cuzzuoll

leia mais...

terça-feira, maio 15, 2007

Poéticas da Criação 2007

Seminário Internacional dos Pesquisadores do Processo de Criação.
Auditório do Centro de Artes - UFES,Vitória/ES
http://br.geocities.com/poeticas_da_criacao/INDEX.html


leia mais...

segunda-feira, maio 14, 2007

EURAU 08

http://www.eurau08.com/index.htm



Comunicações: "Los resúmenes tendrán un máximo de 600 palabras y serán enviados a la secretaría antes del 18 de mayo de 2007 (únicamente formato Word y vía e-mail)".

leia mais...

domingo, maio 13, 2007


Margarida Cuzzuoll - charge Jean


leia mais...

sexta-feira, maio 11, 2007

enquanto isso ... no mercado de arte


Aquarela de Cézanne é leiloada por US$ 25,5 milhões (R$ 51,4 milhões).
Valor supera estimativa da Sotheby´s de US$ 18 milhões (R$ 36 milhões)
Natureza Morta com Melão Verde foi pintada entre 1902 e 1906

Uma das aquarelas mais importantes do artista impressionista francês Paul Cézanne foi vendida na terça-feira, 8, por US$ 25,5 milhões (R$ 51, 4 milhões), o segundo preço mais alto pago por uma obra sobre papel em um leilão. A obra foi adquirida no leilão de arte impressionista e moderna da Sotheby´s por um comprador anônimo.
Com o preço de venda, que inclui as comissões da casa de leilões, a aquarela de Cézanne se torna a segunda obra sobre papel mais cara vendida num leilão. O recorde é de um Picasso, vendido por US$ 38 milhões (R$ 76 milhões).
fonte: Estadão e Folha SP - 09 de maio de 2007

leia mais...

quinta-feira, maio 10, 2007

A Constituição do Comum


leia mais...

ainda o planeta radical

ONG propõe "menos filhos" para combater aquecimento global
fonte: BBC Brasil - 08/05/2007 - 08h18
por Margarida Cuzzuol

da BBC Brasil
"A forma mais barata e efetiva de combater o aquecimento global é reduzir o número de nascimentos para controlar a população global, afirma uma organização não-governamental britânica que lançou na última segunda-feira sua "estratégia para o clima baseada na população".

Para a organização Optimum Population Trust (OPT), dedicada a defender o controle de natalidade, "o crescimento populacional é amplamente reconhecido como uma das principais causas da mudança climática, mas, ainda assim, políticos e ambientalistas raramente discutem isso para evitar polêmica".

Segundo a ONG, mesmo se o mundo todo conseguir uma redução de 60% nos níveis de emissões de CO2 até 2050 --em relação aos níveis de 1990, de acordo com as recomendações do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU)--, o avanço seria praticamente anulado pelo crescimento populacional no período.

"O impacto do crescimento populacional no clima é enorme. Baseado nas emissões médias per capita de 4,4 toneladas de CO2 até 2050 [média traçada pelo IPCC], o crescimento de 2,5 bilhões na população mundial até aquela data, de 6,7 bilhões para 9,2 bilhões, significará emissões de 11 bilhões de toneladas de CO2 a mais por ano", afirma o documento de lançamento da campanha.

Camisinha

Segundo os cálculos da OPT, um cidadão britânico médio gera 750 toneladas de CO2 durante sua vida, num impacto equivalente a 620 vôos de ida e volta entre Londres e Nova York.

Considerando um "custo social" de US$ 85 por tonelada de CO2, de acordo com um relatório do governo britânico, o documento da ONG avalia em cerca de R$ 121,5 mil o custo de cada britânico em sua vida em termos de emissões de dióxido de carbono.

"Uma camisinha de (em média) R$ 1,42, que poderia evitar aquele custo de R$ 121,5 mil em um único uso, significa, assim, um espetacular potencial de retorno para o investimento."

"Uma estratégia para o clima baseada na população envolve menos impostos, regulamentações e outros limites à liberdade individual e à mobilidade, hoje considerados como resposta às mudanças climáticas. Para concluir, seria mais fácil, mais rápido, mais barato, mais livre e mais verde", diz o documento".
www.optimumpopulation.org

leia mais...

quarta-feira, maio 09, 2007

Salvemos o planeta!

Foi na coluna de Luiz Antonio Ryff, no site www.nominimo.ig.com.br
que encontrei a nota. E então resovi visitar o site do VHEMT que de
fato existe mesmo e tem versão até em português.
Se não é piada, é sinal de pensamento radical extremo!
Será mesmo preciso extinguir a espécie humana para salvar o planeta?
Ao final, vejam só, descubro que sou uma "Voluntária".
Mas que fique bem claro, por decisão muito pessoal de, antes ainda dos meus atuais 45 anos, libertar-me de vez da "obrigação" da maternidade.
(Ellen! pode encontrar aqui a justificativa para ser só tia!rs)

Margarida Cuzzuoll


"Salvemos o planeta! Acabemos com a humanidade!
Se você acha que o controle do papel higiênico era radical, que a
pílula antiarroto para vacas era um exagero, você não conhece o VHEMT,
criado por um professor norte-americano, Les U. Knight. Ele tem uma
idéia para salvar a Terra. Infelizmente, se ele for bem sucedido, não
vai sobrar ninguém para ver.

O Movimento de Extinção Humana Voluntária (VHEMT, na sigla em inglês)
é uma organização ambientalista informal cujos objetivos estão
explicados no próprio nome. Acabar com a humanidade. Mas nada muito
violento e imediato – o VHEMT deseja alcançar sua meta de forma
pacífica. O grupo advoga o fim das atividades reprodutoras da espécie
como forma de preservar o planeta.

Como bem notou o diário inglês "The Independent", a história soa a um
sketch humorístico do Monty Python, mas o jornal diz que é sério. Eu
tenho lá minhas dúvidas.

O site do grupo apresenta algumas explicações: "É um movimento apoiado
por pessoas que se preocupam com a vida na Terra. Não somos um bando
de misantropos e anti-sociáveis, ou malthusianos desajustados, que
morbidamente se deliciam sempre que um desastre atinge humanos. Nada
poderia estar mais longe da verdade. A extinção humana voluntária é a
alternativa humanitária aos desastres humanos".

O grupo garante apresentar "uma alternativa animadora à fria
exploração e à liquidação da ecologia terrestre". Palavras do site do
grupo: "Como Voluntários veementes sabem, a prometedora alternativa à
extinção de milhões de espécies de plantas e animais é a extinção
voluntária de uma apenas: Homo sapiens… nós."

O movimento tem um site na internet com versões em 14 línguas
(catalão, alemão, inglês, espanhol, francês, italiano, holandês,
norueguês, romeno, russo, eslovaco, finlandês, sueco e… português).

Eles dividem as pessoas em "Voluntários" (aqueles que acreditam nos
objetivos do VHEMT e decidiram não ter filhos – ou não ter mais
filhos, caso já tenham); em "Simpatizantes" (aqueles que consideram a
procriação injustificável neste momento, mas que acham que querer a
extinção da nossa espécie é exagero); e "Voluntário ou Simpatizante em
potencial" (o resto da humanidade).

Duro vai ser converter seis bilhões de pessoas à causa."

leia mais...

terça-feira, maio 08, 2007

Do I contradict myself? Very well, then I contradict myself, I am large,
I contain multitudes.

Walt Whitman
http://dmadrid.blogger.com.br/
http://contradigome.blogspot.com/

leia mais...

segunda-feira, maio 07, 2007

Las Vegas, Veneza, Paris... ou lugar nenhum...


Que a maior atração de Las Vegas são os jogos de azar não é novidade. O fato novo é que lá a arquitetura contemporânea é a bola da vez. Quanto ao risco que ela corre naquele local, que lhe tem sido sistematicamente inóspito, não se sabe ao certo. No território de generosas apostas na roleta - desde o simples preto ou vermelho, par ou ímpar - e das imorais possibilidades de ganho em caça-níqueis, uma coisa é garantida: poucos, muito poucos podem dizer que voltaram de lá lucrando. Será que a arquitetura contemporânea se desgastará, reduzida a mais um tema de Vegas, ou de fato dará uma contribuição positiva ao não-lugar.
http://www.arcoweb.com.br/debate/debate99.asp

leia mais...

Instituto Americano de Arquitetos - Top Ten

Todo ano são escolhidos 10 melhores projetos "Top Ten Green Building Projects" avaliados levando em consideração a relação com a água, energia, relação com o entorno, inovação, design...veja os sites:

leia mais...

domingo, maio 06, 2007

apartamento

Sei que existe a possibilidade de me passar por repetitiva e que imaginem que a falta de assunto me fez voltar ao mesmo tema. Ainda assim, vamos lá. Hoje, só por curiosidade, vi os lançamentos imobiliários que constam na Gazeta e na Folha de SP. Afinal, também sou arquiteta.
Visitei alguns sites e fiquei com uma pergunta no ar: se existe uma valorização da casa enquanto espaço para receber os amigos, cozinhar, ver filmes, etc qual o motivo dos espaços serem cada vez mais reduzidas? OK, não é necessário lembrar do valor de uso, de troca, do lucro, da especulação, etc etc É só uma pergunta.
Selecionei três situações:
- A Gazeta - Imóveis: “Um passeio pela sala de estar: na hora de decorar esse cômodo da casa preserve uma área para livre circulação.”
Como assim?! É preciso lembrar que as pessoas andam dentro de casa?
- Decorado : paredes, pisos, móveis e acessórios em tons claros e uso de muitos espelhos, inclusive na churrasqueira.
- 4 dormitórios: área de serviço de 2,5 m2.
E o outro lado:
- 6 salas: 6 ou 7 vagas de garagem!

Cabe ao arquiteto-urbanista o projeto do edifício e sua inserção na cidade, nesse caso, seguindo totalmente as diretrizes do mercado imobiliário, daí os micro-espaços. Aos profissionais que atuam nessa área resta gerenciar os anseios de consumo dos moradores diante de um espaço que eles ainda não vivenciaram (no caso da compra em planta) e o confronto a com dimensão real, sem os artifícios de ambientação. Pode haver decepção ou não ... quando o marketing do empreendimento é bem trabalhado o cliente fica satisfeito, mesmo que seja necessário esbarrar nos móveis, nos eletrodomésticos e nos amigos para andar dentro de casa, pois ele ainda pode usufruir de todas as compensações por viver num espaço exíguo: a área de lazer do condomínio! A vista, a garage band, a raia, o bosque, o espaço gourmet, o lounge, salão de jogos, lan house, spa, ofurô, fitness center, sauna ...

leia mais...

sexta-feira, maio 04, 2007

RPG


“Quando chego a uma cidade nova e decido amá-la, primeiro tento me perder”
Contardo Calligaris

Não é o meu caso. Busco logo um mapa, o norte, o mar, uma avenida, alguém conhecido, mesmo que seja para ter a ilusão de domínio, mas a Fundação OndAzul e Shell escolheram a Cidade para lançar um livro-jogo com algumas situações já definidas.

Os autores, Cláudia Jurema Macedo e Milton Quintino, criaram a palavra “urbalista” para descrever uma pessoa que "tem cuidado com o meio ambiente urbano". Inspirado no livro Ecologia Urbana e poder local do ambientalista Alfredo Sirkis, o jogo traz aventuras vividas pelos personagens em diferentes papéis sociais.

“O PARQUE É NOSSO: a escolha do local para um novo parque é questão política e da comunidade;
EM BUSCA DA ÁGUA VERTIDA: um jovem vai ao posto de saúde e investiga a contaminação da água da comunidade;
NO AR, O PASSE LIVRE: direito ao transporte grautito e eleições para o Grêmio;
NÃO MISTURA QUE EU VIRO LIXO! O desafio é colocar um bloco na rua com o tema desperdício;
CICLO-VIA-BILIDADE: a instalação de uma ciclovia vira reportagem especial e discute ordem urbana e normas de uso”.

Sirkis comenta que o conflito é inerente à sociedade complexa e diversificada em que vivemos. (até aí, tudo bem) E que os interesses existentes dentro dela são diversos e, freqüentemente, contraditórios, todos legítimos (?!) e passíveis de composição, dependendo da habilidade do gestor e da boa vontade de todos.
fonte: www.tnprojetossociais.com.br 24/04/2007

leia mais...

Orkut


Até hoje não participo do orkut. Passa um pouco pelo desinteresse, mas vejam as postagens do Fábio Maline sobre o assunto:

http://fabiomalini.wordpress.com/2006/03/21/orkut-e-a-sociedade-do-espetaculo-iv/


leia mais...

terça-feira, maio 01, 2007

01052007



Praia da Costa-ES

leia mais...
 

blog@daus.com.br

comentários I enviar imagens

 
 
  • Nuvens1
  • Batuque
  • Nuvens3

    Flávio Martins

  • Boas festas e feliz 2013!
  • Estamos no facebook: DAUS 
  • Outubro, Rio
  • Setembro 2006
  • Outubro 2006
  • Novembro 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Julho 2007
  • Agosto 2007
  • Setembro 2007
  • Outubro 2007
  • Novembro 2007
  • Dezembro 2007
  • Janeiro 2008
  • Fevereiro 2008
  • Março 2008
  • Abril 2008
  • Maio 2008
  • Junho 2008
  • Julho 2008
  • Agosto 2008
  • Novembro 2008
  • Junho 2009
  • Julho 2009
  • Agosto 2009
  • Setembro 2009
  • Outubro 2009
  • Novembro 2009
  • Dezembro 2009
  • Janeiro 2010
  • Fevereiro 2010
  • Março 2010
  • Maio 2010
  • Junho 2010
  • Julho 2010
  • Novembro 2010
  • Dezembro 2010
  • Janeiro 2011
  • Março 2011
  • Abril 2011
  • Setembro 2011
  • Janeiro 2012
  • Março 2012
  • Abril 2012
  • Maio 2012
  • Junho 2012
  • Julho 2012
  • Agosto 2012
  • Outubro 2012
  • Dezembro 2012
  • Janeiro 2013
  • Setembro 2013
  • Dezembro 2013
  • Abril 2015
  • Julho 2015
  •  

    vitruvius
    rededesignbrasil
    Ibama
    Programa Capixaba Materiais Reaproveitáveis
    Artesanato Capixaba
    Instituto Ideias
    Instituto Marca Ambiental
    Espacoesociedade
    Seminariosmvrd
    Veracidade
    redemoinho
    designfortheworld
    centrodametropole
    sosmataatlantica

    Mare
    Dmadrid
    luciane
    Archestesia
    contradinome
    expurgacao
    clovisaquino
    nelsonkhon
    Bambuzau
    absolutamentenada
    nelmaguimaraes

    ...

    Powered by Blogger